hello world!
Published: 19/04/2021

Os 10 Maiores Erros das Pessoas Pobres

Sabe, é curioso, para muitos falar sobre querer ganhar dinheiro ainda é um tabu, como se fosse algo ruim, imoral que tirasse a nossa dignidade, ainda que mesmo inconscientemente todos nós desejássemos um pouco mais de abundância financeira em nossas vidas, cuidado, pensar sobre dinheiro como algo ruim é perigoso.

T. Harv Eker autor do livro os segredos da mente milionária disse que cada pensamento que a gente tem gera algum tipo de sentimento e cada sentimento uma ação, essa ação pode ser começar algo novo em favor a nossa visão ou pode ser ação da inatividade. São essas pequenas ações que a gente faz dia após dia que ditam os nossos resultados ao longo do tempo.

Foram as pequenas ações, as pequenas escolhas que você tomou dia após dia ao longo da sua vida que trouxeram você para onde você está agora, dormir até uma hora da tarde no final de semana é uma escolha, apertar o botão soneca para rolar na cama por mais dez minutos é uma escolha, se manter dentro de um relacionamento em que você é tratado que nem lixo é uma escolha.

Mas você jamais vai conseguir fazer nada sobre nenhuma dessas coisas se você antes não mudar a forma que você pensa, tudo começa com os pensamentos, escolha mudar seus pensamentos e os resultados mudam junto.

Nesse vídeo eu quero te mostrar os dez maiores erros de pensamento que as pessoas pobres tem para que caso você se pegue pensando em um deles você saiba como evitar.

Antes de começar eu queria deixar uma coisa clara, quando eu me referi a pessoas pobres, eu me refiro a pessoas de mentalidade pobre, essas pessoas podem ter nascido dentro de famílias ricas, mas se tiverem mentalidade pobre, pobres elas morrerão. Assim como elas podem ter nascido dentro de uma comunidade carente o rio de Janeiro, mas apesar de todas as dificuldades elas conseguiram desenvolver uma mentalidade de riqueza e ricas ficarão.

Então já deixa um like para esse vídeo alcançar a maior quantidade de pessoas possível que o Youtube se dispor a entregar.

Primeiro pessoas pobres são sempre cheias de opinião normalmente negativas sobre o mundo, sempre querem deixar todo mundo sabendo as suas reclamações sobre política, esportes economia, governo, sobre tudo o que for ao invés de serem humildes e reconhecerem que a gente sabe muito pouco e ainda tem muito a aprender.

Elas usam seu tempo para criticar os outros, para diminuí-los simplesmente porque elas são inseguras e querem um pouco de atenção. Pessoas ricas sempre estão aprendendo, elas usam seu tempo para fazer perguntas, ouvir, ler livros, implementar o que aprenderam, por isso elas simplesmente não tem tempo para criticar os outros ou sequer dar atenção para quem critica, os ricos sabem que a sua renda só pode crescer a medida que o seu conhecimento cresce, enquanto pessoas pobres acreditam que já passaram por tudo e por isso qualquer conhecimento que você se dispõe a agregar à elas não funciona, porque afinal se o seu conhecimento valesse de alguma coisa, elas não estariam na mesma situação que elas estão hoje.

O seu orgulho, o seu ego as ensurdecem, impede que elas cresçam. Nunca deixe o seu ego impedir você de admitir aquilo o que você não sabe, ego é a anestesia que ameniza a dor da estupidez.

Segundo, pessoas pobres acreditam que dinheiro é a raiz de todo mal. A principal diferença entre as pessoas ricas e as pessoas pobres nesse quesito é que as pessoas ricas pensam que pobreza é a raiz de todo o mal, não é o dinheiro que causa fome, doenças, miséria, é a falta de dinheiro que causa essas coisas.

Olha para os lugares mais pobres do Brasil, crimes, drogas, violência, todos os tipos de problema, pensar que dinheiro causa o mal é pensar que o ser humano é corrompido na presença dele, dinheiro não muda as pessoas, ele mostra quem ela realmente são e ainda amplifica essas características, se você é uma pessoa bondosa então dinheiro te permite amplificar a sua bondade através de doações, atingindo a vida de mais pessoas e assim permitindo que mais pessoas saibam quem você realmente é, se você é um babaca que desrespeita mulheres dentro da sua caminhonete, com dinheiro você vai ser um babacão que desrespeita mulheres dentro de uma Lamborghini.

Terceiro, pessoas pobres tem mentalidade de loteria, elas esperam ganhar dinheiro sem se esforçar pelo dinheiro, pessoas pobres tem a mentalidade de que a única forma delas ficarem ricas nessa vida é comprando o ticket da loteria, mesmo que elas saibam que as chances delas venceram é insignificante elas compram a sua fantasia.

Enquanto isso as pessoas ricas tem uma mentalidade de ação, vai acontecer e sou eu que vou fazer, você acha que os ricos jogam na loteria e antes que você diga que eles não precisam porque eles já são ricos, jovem, eles só são ricos porque eles sabem exatamente quais são os melhores lugares onde eles devem colocar o seu dinheiro e mesmo tendo a condição de comprar muitos mais números do que você, eles não jogam na loteria.

Para ganhar dinheiro é preciso pensar do jeito que os ricos pensam para você conseguir fazer o que os ricos fazem, loteria não é uma dessas coisas.

Essa mentalidade de loteria, de acaso que faz os pobres acreditarem que os ricos são sortudos, que eles não mereceram a sua fortuna, então por algum milagre o dinheiro caiu de repente no seu colo.

Jovem, cuidado ao julgar uma pessoa bem sucedida, você só está vendo a superfície, você não viu todos os anos que ela trabalhou setenta horas por semana sem descanso para concretizar a sua visão, você não viu todas as críticas, rejeições, todos os fracassos e desafios que ela teve que passar para ela chegar onde ela está hoje e falando em sorte, você sabe qual é a probabilidade você estar vivo agora? Nessa época? E ainda de você ter uma qualidade de vida que te capacita a ter uma conexão de internet e um celular por onde você está tendo acesso a essa informação?

Muito gente cara que tinha muito menos do que você tem agora, conseguir usar os recursos que tinha ao seu dispor para alcançar o sucesso através de trabalho e dedicação, você é sortudo demais.

Quarto, pessoas pobres pensam que ricos são pessoas ruins, mesquinhas, gananciosas, no livro sapiens, o autor Yuval Harari explica exatamente a origem desse pensamento. Durante a maior parte da história, a economia permaneceu mais ou menos do mesmo tamanho, a produção global foi aumentando, mas isso só aconteceu por causa da expansão demográfica e pelo povoamento de novas terras, mas a produção per capita se manteve estática.

Nesses muitos séculos atrás dinheiro só era capaz de representar coisas que já existiam no presente, se você não tinha dinheiro para construir uma loja, você não ia construir uma loja, então a quantidade de riqueza disponível era limitada, por isso pensar que no futuro o seu reino seria maior e mais rico era um pensamento ganancioso, porque isso vinha em detrimento, a riqueza e o tamanho dos reinos a sua volta.

Os lucros de uma sapataria poderiam até aumentar, mas isso se viesse as custas dos lucros da sapataria da frente, era um jogo de soma zero, o bolo podia ser repartido, distribuído de várias maneiras, mas ele nunca aumentava de tamanho e todo mundo sabia disso.

Isso até a revolução científica do século XVI quando a gente conhece o crédito, crédito é a confiança de que o futuro vai ser melhor do que o presente, imagina o seguinte, seu Samuel funda um banco em São Paulo, Roberto um empreiteiro também de São Paulo finaliza sua primeira obra e com isso recebe o seu primeiro pagamento de um milhão de reais.

Roberto então deposita esse seu dinheiro no banco do seu Samuel o que faz com que o banco agora tenha um milhão de reais em capital. Enquanto isso, dona Dulce uma chef experiente, mas por outro lado sem dinheiro encontrou uma oportunidade de negócios e decide que vai montar uma padaria em seu bairro em São Paulo, ela vai ao banco do seu Samuel, apresenta o plano de negócios e consegue convencê-lo de que a sua padaria é um investimento promissor.

Por acaso dona Dulce contrata Roberto, um empreiteiro para construir e equipar a sua padaria. O preço que ele cobra é de um milhão de reais, quando Dulce o paga, Roberto então pega esse milhão e deposita mais uma vez na sua conta do banco do seu Samuel, agora quanto dinheiro Roberto vê em sua conta? Dois milhões de reais, mas quanto dinheiro tem em espécie dentro dos cofres do banco? Exato, um milhão de reais.

Mas não acabou, como acontece de vez em quando, Roberto informa dona Dulce que vão ter alguns gastos inesperados com a construção da padaria e diz que o valor total da obra na verdade vai ser de dois milhões de reais, então dona Dulce volta ao banco do seu Samuel e pega um outro empréstimo no valor de um milhão de reais.

Ela então transfere esse dinheiro para a conta de Roberto que por sua vez agora tem três milhões de reais, mas quanto dinheiro de verdade tem no banco? Um milhão de reais.

Na verdade o único mesmo milhão que Roberto colocou lá desde o começo, esse ciclo pode se repetir várias vezes o que significa que até noventa por cento do dinheiro em nossas contas pode não ter cobertura com moedas e notas reais, se todos os correntistas do Itaú decidissem tirar o seu dinheiro ao mesmo tempo, o banco ia quebrar, porque o dinheiro que ele está falando que todo mundo tem somado não equivale a quanto dinheiro ele tem de fato nos seus cofres.

Voltando ao exemplo, depois de dois anos dona Dulce conseguiu criar um negócio que gera a ela consistentemente três milhões de reais por ano, ela expandiu para outras cinco localizações e emprega mais de cem pessoas, ela pagou os dois milhões de empréstimo que ela pegou do banco do seu Samuel mais os juros e agora Roberto pode sacar toda sua quantia de dinheiro caso ele queira.

Ou seja, a confiança de que o futuro seria melhor do que o presente permitiu a criação de um empreendimento que há seiscentos anos atrás não seria possível, crédito criou riqueza, criou oportunidades, criou emprego, criou liquidez e o bolo cresceu para todo mundo.

Então a partir do momento em que crédito passou a ser um agente de crescimento econômico, dizer que os ricos são gananciosos, ruins ou mesquinhas perdeu completamente o sentido, porque só podem conceder crédito aqueles que já tem dinheiro em primeiro lugar, os ricos são responsáveis pelos maiores investimentos tecnológicos, pela expansão da fronteira do conhecimento humano, pelo emprego de centenas de milhares de pessoas e por doações que visam ajudar aqueles que não tem condições de ajudar a si mesmos.

Quinto, pessoas pobres usam cartão de crédito ou pegam empréstimo para coisas inúteis, eu quis colocar essa logo depois de falar como o crédito desenvolve a nossa economia para esclarecer que são duas coisas completamente diferentes.

Só tem dois cenários em que você deve usar crédito, primeiro, você tem dinheiro para pagar a vista, mas o parcelamento sai sem juros, assim você pode deixar o seu dinheiro rendendo até o momento de você pagar as parcelas e segundo o crédito está sendo usado para te gerar mais dinheiro no futuro do que a dívida que você contraiu. Como assim?

Jovem, a regra é simples, se você pega empréstimos para comprar coisas que não te geram mais dinheiro do que o empréstimo, você provavelmente é pobre, porque você não tem dinheiro para pagar essas coisas a vista, então você parcela porque é uma forma de você realizar o seu breve sonho de consumo.

Jovem, crédito parcelado para uma grande TV não, para comprar um Iphone, não. A não ser que você esteja usando o seu Iphone para desenvolver um aplicativo que você depois vai vender e vai gerar receita para o seu negócio, porque no momento em que uma pessoa em dificuldades financeiras usa o seu cartão de crédito ela se tornou escrava da dívida, ela se cava mais fundo e mais fundo para dentro de um buraco que ela jamais vai conseguir sair.

Porque, mano, no momento em que você contrai uma dívida você não está mais trabalhando para você, a sua vida não é mais verdadeiramente sua até você quitar a dívida.

Pessoas pobres tentam parecer ricas, mas todo dinheiro que cai na sua conta do banco é destinado a quitar as dívidas.

Sexto, pessoas pobres compram roupas ou produtos por impulso. Você já viu alguém que estava andando em shopping ou uma feira quando de repente viu uma vitrine com algum produto com trinta por cento de desconto e decidiu comprar esse produto? É isso, pessoas pobres buscam desculpas para gastar o pouco dinheiro que as sobram enquanto os ricos pensam em usar o que sobrou para aumentar a sua renda comprando ativos.

Na verdade os ricos se blindam contra essas tentações primeiro investindo seu dinheiro e depois arcando com seus custos de vida, isso impede que sobre qualquer quantia de dinheiro que os deixe tentados a gastar com futilidades todo mês.

Deixa eu ser claro, as únicas coisas que você deveria comprar em liquidação são ações e fundos imobiliários, não, você não precisa de mais uma capinha de iphone ou mais um par de sapatos, mesmo se eles tiverem com trinta por cento de desconto, afinal, convenhamos, se você não tivesse passado em frente a vitrine que mostrou esse desconto, você nem teria comprado esse produto em primeiro lugar, então você sabe quais são as coisas que você realmente precisa.

Roberto Kiyosaki, o autor do livro pai rico pai pobre disse sempre se pague primeiro, primeiro você investe, depois você arca com seus custos de vida, porque se você gastar e depois investir nunca vai sobrar dinheiro pra você investir e você nunca vai ter dinheiro.

Mas nunca se sabe, e se eu morrer amanhã, eu vou me privar de ter o que eu quero hoje, vai que amanhã acontece um desastre gente.

É engraçado como pessoas de mentalidades diferentes podem ouvir a mesma coisa e tirar conclusões completamente adversas, pessoas pobres são imediatistas e pensam no curto prazo porque são absolutamente individualistas, elas só conseguem enxergar aquilo que é pertinente à elas e que faz parte da sua realidade mediata.

Pessoas ricas tem um senso de coletividade muito bem desenvolvido, então elas sabem que poupando e investindo elas não só vão poder viver com uma qualidade de vida muito melhor no futuro, como também usar esse dinheiro para projetos que vão empregar outras pessoas, fomentar conhecimento e ainda para oferecer mais oportunidades para aqueles que hoje tem muito poucas.

Sétimo, pessoas pobres culpam os outros pelos seus problemas, ah se não fossem meus pais, ah se não fosse a economia, o governo meu Deus do céu.

Jovem, a gente não tem total controle sobre o que acontece à nossa volta, mas tem três coisas que a gente pode escolher quando algo acontece pra gente, a gente pode escolher onde focar, a gente pode escolher o significado daquilo que aconteceu pra gente e a gente pode escolher o que fazer.

A diferença está em como a gente reage aquilo que aconteceu para a gente, quando algo ruim acontece os pobres escolhem se vitimizar, os ricos analisam a situação, estudam, buscam entender o que houve de errado para saber o que eles podem fazer para dar certo da próxima vez.

Enquanto um usa as circunstâncias externas para se denominar vítimas vulneráveis, o outro usa seus problemas como um ponto de crescimento. Existem pessoas que chegam ao ponto de até culparem o seu destino por serem pobres.

Eu sei, não tem como ninguém controlar quem são os nossos pais, onde a gente nasceu ou a forma como a sociedade nos trata, a única coisa que a gente pode sim controlar é a quantidade de horas que a gente coloca nos nossos sonhos.

Jovem, as circunstâncias à nossa volta não determinam o nosso destino, elas podem as influenciar, mas não determinam e dependendo de quais sejam essas circunstâncias, elas provavelmente vão te exigir que você trabalhe muito mais do que a média da pessoa mas ainda assim, o seu destino é você quem faz.

Não Breno, você não entendeu, Deus quer que eu seja pobre para sofrer para que depois quando eu tiver no paraíso eu possa ter tudo o que eu quiser, entendeu?

Irmão, independentemente da minha opinião sobre a existência de um Deus ou não o que eu asseguro pra você é se existe um Deus, ele com certeza quer o seu bem, então o Deus que você acredita na verdade quer que você se desenvolva ao máximo para que você possa crescer e com isso ajudar a maior quantidade de pessoas nesse mundo.

Pensa, não tem ninguém que você possa ajudar se você não conseguir nem ajudar a si mesmo, por que um Deus ia querer isso pra você? Isso leva a gente para o oitavo comportamento de pessoas pobres, pessoas pobres não prosseguem com as atitudes necessárias para concretizar seus sonhos.

É simples, elas tem medo de arriscar e começar coisas novas, elas tem medo do fracasso, da rejeição, das críticas que elas vão receber, elas não entendem que se elas querem que a sua vida mude elas precisam mudar.

Jovem, ninguém quer falhar, mas tem uma diferença enorme entre as pessoas que seguem seus objetivos apesar do medo de falhar e aquelas que deixam o medo do fracasso as consumir.

Medo é um mecanismo natural contra coisas que não estão dentro do nosso controle, esse mecanismo funcionou muito bem quando a gente estava lutando contra mamutes e tigres dente de sabre, quando fracasso significava morte literal.

Mas hoje fracasso só significa que você tem que começar de novo, significa que você tem mais uma chance, você pode se dispor a aprender, adquirir conhecimento para minimizar as chances de fracasso ou você pode escolher sucumbir as circunstâncias à sua volta pensando que você não pode fazer nada a respeito.

Nono, pessoas pobres pensam que é injusto elas trabalharem muito e continuarem sendo pobres. Mas cara, não importa quão duro você trabalhe se o tipo de trabalho que você faz não pode te levar onde você quer chegar.

Einstein falou que a definição de insanidade é você fazer a mesma coisa de novo e de novo esperando resultados diferentes, é preciso continuar aprendendo, desenvolvendo as habilidades necessárias para você identificar um problema, encontrar formas de conseguir resolver esse problema e ainda rentabilizar sobre isso.

Jovem eu entendo que dependendo da ideologia social de cada um, o pensamento sobre o que é justo na nossa sociedade pode mudar completamente, por exemplo, se você for adepto ao socialismo, você pode achar pertinente que o varredor de rua receba o mesmo salário do que um cirurgião e tudo bem, as duas funções podem ser igualmente importantes para a nossa sociedade, mas isso remete de novo aquela questão das circunstâncias, a realidade simplesmente não é essa e muito provavelmente jamais vai ser.

Então você vai focar somente em como a sociedade que você vive deveria ser e se vitimizar em nome de uma utopia ou você vai aceitar as coisas como elas realmente são, erguer a cabeça e encontrar formas de prosperar nessa realidade?

Décimo, pessoas pobres pensam que querer ter dinheiro é o mesmo que querer ter luxo, se você perguntar para a maior parte das pessoas com mentalidade pobre, o que significa ser rico, elas provavelmente vão dizer ter uma mansão, ter um carro de luxo, usar roupas caras, alguma coisa ostentadora.

As pessoas de mentalidade rica não fazem dinheiro para ter essas coisas, elas fazem dinheiro para ter a liberdade de fazer o que elas bem entenderem com o seu tempo, uma mansão, um carro de luxo ou roupas caras são somente algumas possibilidades dessa liberdade.

Quando você é livre financeiramente, ninguém está controlando a sua vida e essa que é a beleza da riqueza, dinheiro permite que a gente seja realmente quem a gente quer ser, sendo rico a gente pode usar o nosso tempo para estar onde a gente quer estar, com quem nós queremos estar fazendo aquilo o que a gente ama, tanto que se dinheiro só servisse pra comprar coisas de luxo, porque os bilionários continuariam trabalhando?

É simples, porque eles estão trabalhando com causas que eles realmente acreditam, são as causas que faz eles amarem o seu trabalho e que dão significado à sua vida.

Se você chegou até aqui eu queria reconhecer a sua força de vontade de já ter assistido o que provavelmente se passaram quinze minutos quando a gente está acostumado a se distrair a cada quinze segundos, por isso tem mais um número onze que eu queria te falar, mas antes para a gente não perder o costume, eu queria pedir para você comentar aqui embaixo, a minha vida é curta demais para eu viver uma vida que não é minha.

A minha vida é curta demais para eu viver uma vida que não é minha, porque é sobre isso o que eu quero falar agora. Décimo primeiro, as pessoas pobres não conseguem diferenciar bons conselhos de maus conselhos.

Você já reparou como tem algumas pessoas que tem uns ditados esquisitos que parece que elas ouviram dos pais ou dos amigos mas que elas usam para guiar cada ação da sua vida, seja você mesmo, esse é o pior conselho que alguém pode te dar, porque quando você parte do princípio de que você já basta do jeito que você é agora, você se abstem da necessidade de se desenvolver, assim você não vê sentido em sair da sua zona de conforto para crescer, para absorver conhecimento e implementar o que você aprendeu, porque afinal esse conselho te diz claramente que você não precisa de nada disso.

Jovem, se você seguir um conselho desses você vai continuar fazendo as mesmas coisas que você já faz e foram exatamente essas coisas que você tem feito nos últimos anos que trouxeram você para onde você já está. Outro conselho horrível é não faça isso, pode dar errado, pois eu te pergunto irmão, e se der certo, a gente se preocupa demais em tudo o que poderia dar errado e esquece de se lembrar que perdas são limitadas e os ganhos são infinitos, esse mundo é tão abundante e tem tanto para oferecer e você vai se contentar com a mediocridade em ser padrão? A mesma história chata que todo mundo vive.

A sua habilidade de conseguir diferenciar entre bons se maus conselhos é extremamente importante se você quer conseguir fazer a balança tender par ao seu lado, enquanto pessoas de mentalidade rica buscam conselhos de pessoas que elas admiram que hoje estão em posições que elas almejam, pessoas de mentalidade pobre buscam conselhos com quem elas confiam, seus pais, seus amigos, seus parentes.

O problema é que na maior parte das vezes, essas pessoas por mais que queiram o seu bem elas não tiveram os resultados que você quer para a sua vida, então não é a opinião dessas pessoas que você deveria ouvir, porque elas provavelmente vão te desencorajar, te desmotivar e não vão te agregar nenhuma coisa que vá fazer você chegar mais perto dos seus objetivos.

E caso ouvir a opinião dessas pessoas seja absolutamente inevitável dado que vocês moram juntos ou por qualquer outro motivo, se lembra cara, são as suas escolhas, a sua história, a sua vida. Sua vida é curta demais para você viver uma vida que não é sua.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Copyright 2020 OxyMade Designs. All rights reserved. Made with 🖤 by OxyMade.
crossmenu