hello world!
Published: 19/04/2021

O Maior Segredo do Autocontrole (Use Todos os Dias)

Neste texto você vai aprender o segredo do auto controle segundo as ideias contidas no livro hábitos atômicos, então bora começar.

Em 1971 durante a guerra do Vietnã foi descoberto que mais de quinze por cento dos soldados em serviço nos Estados Unidos estavam viciados em heroína, além disso pesquisas complementares revelaram que pelo menos trinta e cinco por cento dos militares no Vietnã haviam experimentado heroína e vinte por cento já estavam viciados.

Mas o problema era ainda maior do que se pensava, essa descoberta levou o governo a criar o escritório de ação especial de prevenção ao abuso de drogas, projeto esse que tinha função de promover a prevenção e reabilitação dos membros dependentes e acompanhá-los até sua volta para casa.

Em um dado momento um dos pesquisadores responsáveis chamado Lee Robins descobriu algo que derrubaria todas as crenças já aceitas e estabelecidas sobre o vício. E o que ele revelou foi que quando os soldados que haviam sido usuários de heroína voltavam para casa, apenas cinco por cento retomavam o vício num período de um ano e só doze por cento recaíam dentro de três anos.

Em outras palavras nove de cada dez soldados que usavam heroína do Vietnã eliminaram o vício quase que da noite para o dia ao voltar para casa. Apesar dessa descoberta contradizer a crença predominante das pessoas na época de que a dependência de heroína era uma condição permanente e irreversível, o pesquisador Robins revelou que os vícios poderiam desaparecer espontaneamente se houvesse uma mudança radical no ambiente, isso faz total sentido, pois no Vietnã os soldados passavam o dia todo cercados por vários estímulos que acionavam o uso da heroína, a droga era de fácil acesso, eles viviam mergulhados no estresse constante da guerra, criavam vínculos de amizade com outros soldados que também eram viciados em heroína e para finalizar ainda tinha o fato de estarem a milhares de quilômetros de casa.

Porém, uma vez que o soldado voltava para casa, ele se via em um ambiente completamente livre daqueles gatilhos, quando o contexto mudava o mesmo acontecia com o hábito, um bom exemplo de como isso funciona é se compararmos essa situação com a de um usuário típico de drogas, aquele que foi acostumado a usar sozinho em casa ou com os amigos e de repente é internado em uma clínica para ficar limpo. Lá o ambiente é totalmente desprovido de gatilhos que possam induzir o mal hábito e por isso o resultado geralmente é muito satisfatório, porém o que as estatísticas mostram é que de todos os usuários que saem da clínica de reabilitação e voltam para casa, cerca de noventa por cento acabam tendo uma recaída, o que representa exatamente o número oposto daquele estudo no Vietnã.

Você vai perceber que essas informações contrariam muitas de nossas crenças culturais sobre maus hábitos, pois elas desafiam a associação convencional de comportamento com fraqueza moral, então se você é gordo, fumante ou viciado em alguma coisa, com certeza já deve ter ouvido várias vezes que isso é fraqueza e falta de auto controle.

É comum pensarmos que basta um pouco de disciplina que todos os nossos problemas estariam resolvidos, pois essa concepção está profundamente arraigada na nossa cultura, mas o fato é que algumas pesquisas recentes revelaram algo diferente, quando os pesquisadores analisaram pessoas que aparentavam ter um tremendo auto controle ficou evidente que essas pessoas não eram tão diferentes daquelas com dificuldades em se controlar, o que na verdade acontece é que as pessoas tidas como altamente disciplinadas são melhores em estruturar sua vida de uma forma que não seja necessário uma força de vontade sobre humana ou um alto controle gigantesco para prosseguirem com seus bons hábitos, dessa forma elas passam menos tempo em situações tentadoras do que aquelas pessoas consideradas fracas e indisciplinadas.

No fundo as pessoas com mais auto controle são normalmente aquelas que menos precisam exercê-lo já que é mais fácil praticar o auto controle quando você não tem que usá-lo com muita frequência, é claro que coisas como persistência, garra e força de vontade continuam sendo essenciais para o sucesso, mas a melhor maneira de aprimorar essas qualidades não é desejando ser mais disciplinado, mas sim criando um ambiente mais disciplinado.

Essa ideia que desafia o senso comum faz ainda mais sentido quando você entende o que acontece quando um hábito é formado no cérebro. Um hábito que foi codificado na mente está a todo momento pronto para ser usado sem pre que a situação pertinente surge, tome como exemplo esse caso que aconteceu com uma terapeuta em Austin no Texas.

Quando ela começou a fumar era comum que o fizesse enquanto andava a cavalo com um amigo, mas em determinado momento da sua vida, ela parou de andar a cavalo, largou o fumo e se manteve longe do vício por vários anos, décadas mais tarde, ao retomar os passeios a cavalo, ela de repente começou a desejar um cigarro pela primeira vez em anos, ou seja, os estímulos que acionavam o desejo de fumar ainda estavam internalizados, ela só não havia sido exposta a eles muito tempo.

Uma vez que um hábito tenha sido codificado, o desejo de agir surge sempre que os estímulos ambientais reaparecem, essa é uma das razões pelas quais certas táticas convencionais para mudar o mal comportamento podem sair pela culatra.

Envergonhar pessoas obesas com broncas e apresentações sobre perda de peso pode fazer com que ela se sinta estressadas e como resultado muitas acabam recorrendo ao remédio favorito delas contra o estresse que é comer até não aguentar mais.

Mostrar fotos de pulmões escuros para fumantes faz com que eles fiquem ainda mais ansiosos e recorram ao que para eles é melhor meio para lidar com a ansiedade que é fumando um cigarro.

Isso prova que se você não prestar atenção nos estímulos que causam seu vício, ao tentar resolver o problema, você poderá provocar o exato comportamento que deseja interromper.

Os maus hábitos se retroalimentam, eles provocam justamente os sentimentos que tentam entorpecer, funciona assim, você por algum motivo se sente mal, por isso come uma pizza, por ter comido a pizza você volta a se sentir mal por saber que não deveria ter comido.

Você sente preguiça, por isso vai assistir TV, mas ela acaba te deixando mais preguiçoso e te fazendo assistir ainda mais. Se preocupar com sua saúde faz com que você fique ansioso e isso te leva a fumar um cigarro para aliviar essa ansiedade o que inevitavelmente irá piorar ainda mais a sua saúde, e como consequência fará com que se sinta ainda mais ansioso.

Os maus hábitos funcionam como uma espiral descendente te levando para um buraco cada vez mais fundo e difícil de sair, pesquisadores chamam esse fenômeno de desejo induzido por estímulo, significa que um gatilho externo cria na pessoa um desejo compulsivo de repetir o mau hábito, ou seja, uma vez que essa pessoa percebe certa coisa, ela passa a desejar essa coisa e esse processo acontece o tempo todo, muitas vezes sem nem mesmo nos darmos conta.

Cientistas descobriram que só de mostrar uma foto de cocaína para um viciado por apenas trinta e três milissegundos já era o suficiente para estimular o sistema de recompensa do cérebro e despertar o desejo pelo uso.

Essa velocidade é rápida demais para ser registrada conscientemente pelo cérebro, os viciados não conseguiam sequer identificar o que tinham visto, mas mesmo assim ansiavam pela droga da mesma forma.

A mora da história é que você pode quebrar um hábito, mas é improvável que o esqueça, uma vez que os sucos mentais do hábito tenham sido criados em seu cérebro, são quase impossíveis de serem removidos por completo, mesmo que não sejam usados por um bom tempo, isso significa que simplesmente resistir a tentação é uma estratégia pouco eficaz, pois é muito difícil manter hábitos positivos de forma consistente em um ambiente negativo, já que isso requer muita energia e força de vontade que diga-se de passagem, são recursos limitados.

No curto prazo até conseguimos nos controlar bem, mas a longo prazo acabamos cedendo aos estímulos do ambiente em que vivemos, a forma mais confiável de eliminar os maus hábitos é indo direto na raiz do problema que na maioria das vezes significa reduzir a exposição aos estímulos que os desencadeiam, por exemplo, se ao invés de estudar ou trabalhar, você não para de rolar a timeline das redes sociais, deixe seu celular em outro cômodo por algumas horas. Se está constantemente se comparando com os outros e se sentindo um fracassado, pare de seguir perfis nas redes sociais que desencadeiam esse sentimento negativo. Se está perdendo muito tempo assistindo TV tire ela do seu quarto ou evite ficar na sala. Se estiver virando noites jogando videogame ou jogos online e não consegue parar, guarde o console dentro de uma armário após cada uso e desinstale os jogos online do computador, você precisa tirar esses estímulos do seu campo de visão, pois eles despertam seu desejo sem que perceba, essa é uma estratégia simples, porém bastante eficaz.

Muitas vezes só de remover um único estímulo todo o hábito simplesmente desaparece. Não dependa da força de vontade para resistir as tentações, pois você vai perder esse jogo no longo prazo, lembre-se o segredo do auto controle está em passar o mínimo de tempo possível exposto aos estímulos que desencadeiam seus maus hábitos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Copyright 2020 OxyMade Designs. All rights reserved. Made with 🖤 by OxyMade.
crossmenu